Resenhas

Tom Vek – Leisure Seizure

Rock, Punk e Dance com o requinto da New Wave, um som feito pra dançar. Vek depois de mais de seis anos sem gravar nada, volta e faz um disco que com certeza fez valer a pena a espera

1,373 total views, no views today

Ano: 2011
Selo: Islands
# Faixas: 12
Estilos: Indie Rock, Eletrônica
Duração: 47:25
Nota: 4.0
Livraria Cultura: 22999364

Leisure Seizure é o segundo álbum de Thomas Timothy Vernon-Kell, ou (como é mais conhecido) Tom Vek. Ele se distanciou da indústria da música por seis anos, desde seu debut, We Have Sound e agora volta triunfante. Nesse trabalho, ele faz um som muito eletrônico, mas consegue integrar influências do Rock, Punk e Dance em sua música, sendo que a mais presente e que é mais fácil de perceber é a influência da New Wave.

O maior mérito do projeto é ser uma banda de um homem só. Fã de bandas Grunge como Pearl Jam e Smashing Pumpikings, Vek se tornou um multi-instrumentista de maneira autodidata. Boas referências e puro talento dá nisso.

Nesse meio tempo entre os dois discos, Vek passou três anos estudando novas formas de produção musical e construindo seu próprio estúdio, e mais dois realmente escrevendo e produzindo o álbum. A espera realmente valeu a pena e desta vez vemos uma veia pulsante do Pop, em um disco expansivo e carregado de influências.

As limitações que Vek tivera no primeiro disco foram superadas. Seu segundo trabalho soa muito mais eletrônico, mas ao mesmo tempo mais orgânico, e existe uma fluidez muito maior entre cada faixa. Aroused é a faixa de destaque do disco, conseguindo unir os efeitos de gravação estudados por Vek a uma batida dançante e ainda consegue ser o meio termo entre os dois álbuns. Ele fez isso criando uma aura acessiva e criativa à música.

We do Nothing segue o mesmo caminho, com uma linha rítmica incrível e dançante, criando várias camadas de som sobrepostas. A Chore foi o primeiro single e a linda A.P.O.L.O.G.Y traz uma grande carga do We Have Sound e um tom mais obscuro ao disco. Fechando o disco num clima quase bagunçado, Too Bad tem diversos instrumentos e mudanças no andamento e um refrão bem marcante.

Leisure Seizure é um disco que faz valer cada dia da espera desses seis anos. O cuidado com a produção e a inovação que Tom Vek trouxe nesse disco são muito visíveis (ou audíveis), além de superar suas grandes limitações do trabalho anterior.

1,374 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Neon Indian, Metronomy, Dutch Uncles
ARTISTA: Tom Vek
MARCADORES: Eletrônica, Indie Rock

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts