Resenhas

Touché Amore – Is Survived By

Disco brinca com influências Hardcore e Post-Rock e se torna uma obra no mínimo interessantíssima, sendo uma banda para ficar de olho no futuro

 3,549 total views

Ano: 2013
Selo: Deathwish Music
# Faixas: 12
Estilos: Post-Hardcore, Experimental, Screamo
Duração: 29:35
Nota: 4.0
Produção: Brad Wood
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fis-survived-by%2Fid6

Se você foi guiado até este disco por sua suave capa, e está esperando um disco calmo e tranquilo, com referências Post-Rock, você irá se supreender bastante. Touché Amore é uma banda experimental que brinca com uma série de referências que talvez o leitor do Monkeybuzz não esteja tão acostumado. Ainda que tenhamos aqui elementos bem etéreos, evidenciados nas ambientações com guitarras reverberadas, o disco leva como base de suas composições principalmente o Post-Hardcore e seus derivados. Se você ficou com medo, talvez seja prudente dar uma lida em nosso artigo sobre perder sua fobias de músicas pesadas. Mas, em hipótese nenhuma, descarte Is Survived By de sua lista de “discos para se escutar”, pois você estará perdendo um grande lançamento.

Pode ser que você ache o disco com faixas iguais, mas na verdade, trata-se de um artifício bem escolhido para explorar as temáticas das letras das composições. A aura do disco é sempre envolta de acordes abertos em timbres agudos de guitarra misturadas com uma bateria agressiva e linhas vocais gritadas do vocalista Jeremy Bolm. A relação que estes elementos tem com as letras é como se a banda procurasse retratar a mente de uma pessoa depressiva e com questões pesadas que ficam rodando sua cabeça. Assim, a linha instrumental delimita os limites da mente da pessoa, enquanto as letras exprimem cada área dela.

Embora seja um disco pesado, as chances de se envolver com ele e viajar bastante é grande. DNA mistura influências de linhas de bateria Math Rock com reverbs bem executados, criando uma atmosfera única. Já Non Fiction bebe um pouco de bandas como Mogwai no começo, mas para o final podemos comprar a sonoridade com um Explosions In The Sky que sonha menos, e sofre mais. To Write Content é uma das faixas que liberam mais adrenalina e, junto com uma linha de baixo potente, é um perfeito relato de uma mente desesperada.

Podemos comparar a obra do grupo com o mais recente disco do duo Deafheaven: um disco de peso que extrapola a devida atenção que merece no cenário musical. Uma banda para se ficar de olho, por ser uma ótima transição de gêneros e um bom início para perder o medo de músicas pesadas.

 3,550 total views

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.