Resenhas

Twin Shadow – Confess

A sinceridade da New Wave é herdada em um grande disco dançante sobre romances contemporâneos

2,632 total views, no views today

Ano: 2012
Selo: Terrible Records/4DA
# Faixas: 11
Estilos: Indie Pop, New Wave
Duração: 41:08
Nota: 4.0
Produção: Twin Shadow

Falar em alguma espécie de resgate à New Wave nos dias de hoje já começa a soar datado. Ainda assim, vale a pena ressaltar que o que Twin Shadow fez em seu segundo álbum, Confess, herda uma característica nem sempre bem copiada dessa sonoridade dos anos 80: Uma sinceridade natural nas composições.

Bandas como Duran Duran e New Order soavam quase ingênuas cantando melodias e versos Pop, mas cheios de alma. O que George Lewis Jr. fez neste disco destoa de qualquer forma de inocência, mas carrega a honestidade do gênero ao retratar relacionamentos contemporâneos, na maior parte deles corriqueiros e descompromissados, envoltos por uma vibe dançante irresistível.

A abertura com Golden Light pode não mostrar naturalmente essas qualidades. Pelo contrário, ela soa fria e polida, como se tentasse se estabelecer como cool, mas funciona como uma boa introdução para o que está por vir. You Call Me On, a faixa seguinte, já dá um início maior à festa propriamente dita. Ela soa agressiva e sensível ao mesmo tempo, revelando mais do tom que ouviremos dali para a frente.

É daí que surge Five Seconds, sem dúvidas uma ótima escolha para ser o grande hit do álbum. Essa é uma daquelas músicas que grudam na cabeça com seus tons graves e uma guitarra bacaninha para acompanhar o vocal. Ela vem em dupla com Run My Heart, que começa tranquila e explode em um refrão Pop e dançante delicioso, sendo, talvez, a que melhor define todo Confess, com o músico explicando que ele não está apaixonado, ele é “apenas um garoto e você é apenas uma garota”.

Essas confissões conseguem ser tão íntimas quanto triviais, soando como verdades banais por conta da roupagem tranquila e popular que as composições recebem, sempre remetendo à New Wave, como em Beg for the Night e When the Movie’s Over. As maiores exceções ficam com Patient, que tem uma levada bem diferente no início, e I Don’t Care, uma balada com pitadas de R&B que parece até mesmo algo que Kanye West gostaria de ter produzido.

Ao longo de suas onze faixas (dez oficiais e uma “escondida”), Confess se mostra como um trabalho maduro e sólido do músico, que sabe nos fazer dançar ao saber aproveitar algumas ótimas características da época que referencia e, assim, produzir uma obra muito própria de nossos dias.

2,633 total views, no views today

BOM PARA QUEM OUVE: M83, Metric, Metronomy
ARTISTA: Twin Shadow
MARCADORES: Indie Pop, New Wave

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.