Resenhas

WALLA – Nature EP

Banda reúne ótimas músicas festeiras para sua estreia, tão boas que nos fazem pensar como será superá-las

 3,498 total views

Ano: 2013
Selo: Independente
# Faixas: 4
Estilos: Indie Pop, Indie Rock, Synthpop
Duração: 14'
Nota: 3.5

O esquema é aquele que todo mundo conhece: Banda começando agora, a melhor alternativa é lançar um EP caprichado e, com o tempo, colocar aquelas músicas dentro de um registro completo, com mais várias faixas novas, às vezes bem esquecíveis, para acompanhar as já conhecidas. Ao ouvir Nature EP, da banda californiana WALLA, temo que isso possa acontecer e resultar em um primeiro álbum fraquinho cheio das faixas irrelevantes. Por que? Pelo simples motivo de que estas quatro aqui são ótimas demais.

Entenda que não é falta de confiança na banda, mas coisa de quem vê muita gente comentendo esse erro, o de “ter que lançar um álbum” pra cumprir tabela e se esquecer da qualidade que algumas das suas composições possuem – e são elas que acabam sendo prejudicadas por essa ambição. Enfim, a questão é: WALLA vai ter que caprichar demais para criar músicas ao nível destas.

Não é exagero. São quatro pérolas muito bem feitinhas dentro daquela pegada festeira e livre que ronda os termos Indie, Indie Rock e Indie Pop. Formada por pessoas de diversas nacionalidades, inclusive um músico brasileiro, a banda sabe misturar guitarras e sintetizadores para criar ambientações bacanas, contemporâneas e convidativas para as pistas.

Crazy World faz as honras da abertura mostrando de cara essas qualidades. No Time, na sequência, parece baixar o ritmo da festa, mas logo mostra a que veio com riffs muito divertidos e um apelo Pop bem gostoso – mesma vibe da música seguinte, aquela que batiza o disco. Ensolarada e mais rápidinha que as outras, é a que dá mais destaque para as guitarras. Bela escolha.

Para encerrar, Neon Love vem com mais emoção que as anteriores, com o vocal mais sussurrado e o refrão que arrasta as vogais, deixando impossível você acompanhar a melodia depois de ouvir a música mesmo só uma vez. Com menos de 15 minutos de duração, é claro que você vai dar o replay e sorrir tudo de novo.

E o “problema” é justamente o quanto essas faixas sabem agradar. Fica a sensação que elas foram escolhidas muito a dedo dentre outras menos boas, justamente pra evitar o problema com o álbum fraco com muitas músicas. Mas o que vai acontecer, só o futuro pode dizer. Enquanto isso, a gente aproveita sem compromisso essas pequenas delícias da estética musical Indie.

 3,499 total views

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.