Melhores Faixas de 2012

Confira a seleção das 25 músicas favoritas de nossa equipe lançadas esse ano

5,988 total views, no views today

Se criar uma lista de melhores álbuns já é difícil, mais ainda é escolher as melhores faixas dentro deles e quais merecem dar seu lugar na lista para lançamentos avulsos feitos ao longo do ano.

Ao mesmo tempo, ela se mostra uma lista mais democrática, dando espaço para artistas que não necessariamente criaram obras completas e inteiramente boas, mas com alguns minutos preciosos dentro delas. Abaixo, selecionamos algumas de nossas músicas favoritas de 2012, formada por muitos artistas dos discos que estarão em nossa lista de melhores álbuns, mas também por singles lançados este ano que merecem todo o destaque, nos deixando sedentos por seus trabalhos completos a serem lançados no ano que vem.

Aproveite e confira no final uma playlist com todas elas, para curtir sem parar.

25. Alabama ShakesHold On

Não foi preciso nem chegar aos quatro minutos de duração para Hold On conseguir resumir tudo o que está presente em Boys & Girls, disco que a faixa tem a responsabilidade de inaugurar. Ela parece surgir sem pressa, com uma ginga que logo revela sua força e nos conquista para conhecer mais da banda.

24. SILVA2012

Se a Chillwave é uma vertente que já ocupa espaço notável como base de bandas internacionais, o capixaba Lúcio SIlva é um dos principais detentores de adaptar a sonoridade para os moldes brasileiros. A faixa 2012 abre as alas do disco Claridão com a nova influência rítmica através de doces sonoridades afixada pelo coro em “U” bradado pelo próprio SILVA. O compasso intenso da bateria aliado a canção que traz em versos a fuga do certo pela escolha do duvidoso surpreende do início ao fim.

23. Father John MistyHollywood Forever Cemitery Sings

Arrastada, sentimental e sexy. Tanto a voz de Joshua Tillman, quanto a música que revelou ao mundo seu disco de estreia, Fear Fun, podem ser descritas assim. A canção parece acoada pela própria história que narra – a de um romance durante um velório -, quase presa no momento, como uma memória que você faz questão de não perder.

22. Onagra ClaudiqueUmwelt

A fronteira entre o “eu” e o “você” é minimizada na letra sobre relações humanas que serve para qualquer situação, seja em amizade, família, romance ou mesmo com desconhecidos: Quando nos doamos e recebemos um pedaço do outro, “somos mais nós mesmos”. E tudo soa simpático, convidativo e musicalmente muito rico. Uma ótima maneira de abrir um belo EP.

21. Disclosure feat. Sam SmithLatch

O terceiro disco do duo Disclosure intitulado como The Face renova seus ideais traz como destaque de seu material a canção Latch com a participação especial do vocalista Sam Smith. Em ascenções e quedas típicas de faixas eletrônicas, os irmãos Lawrence trabalham em cima de sintetizadores doces e com traços minimalistas que trazem a classe e cuidado mesmo nos apocalípticos momentos de clímax onde toda a sonoridade se une em um apse de sons.

20. Passion PitConstant Conversations

De longe, a canção de número 4 no disco Gossamer do Passion Pit se destoa do típico ritmo frenético emplacado desde seu início de carreira. O desacelerar da faixa Constant Conversations flerta com o que há de mais Pop dentro do nicho R&B, casando os falsetes de Michael Angelakos a coros femininos sem esquecer da base Indie Pop enraizada em tudo que fazem, resultando numa experimentação interessante.

19. MØPilgrim

Karen Marie Ørsted foi mais um dos bons talentos do Pop escandinavo a estrelarem no ano de 2012 com singles promissores que apontam para uma futura carreira na qual preza a qualidade sonora, e ainda aponta bons motivos para ser motivo de espelho levando em conta o nicho atual tão pasteurizado pelas rádios. A marcante faixa Pilgrim traz doses instigantes de influências que vão dos sopros encontrados no Ska, sintetizadores que soam como marimbas, e até uma percussão de palmas lineares mantida por toda a canção.

18. Hot ChipFlutes

Provavelmente a melhor faixa de In Our Heads, em mais de sete minutos a banda conseguiu criar uma faixa minimalista e crescente que funciona como um explosão sendo vista em câmera lenta. Em estrutura e grandiosidade, não há como não lembrar da clássica All My Friends da LCD Soundsystem.

17. Frank OceanPyramids

O maior destaque do R&B do ano se deve ao cantor Frank Ocean e sua devastadora estreia como um livro aberto na música através do disco Channel ORANGE. A aventureira e nada reduzida faixa Pyramids se estende a quase 10 minutos na íntegra e se mantém fiel e inspirada na estética emplacada por Kanye West em vários momentos de seu disco My Beautiful Dark Twisted Fantasy, trazendo a base do R&B mesclada a sintetizadores que vão de momentos mais refinados a traços do 8-bit.

16. Grizzly BearA Simple Answer

Uma longa jornada espiritual é narrada à medida que a canção segue em um ritmo quase marcial, como uma peregrinação penitenciosa, mas sorridente, em versos de métrica que poderia causar inveja em grandes poetas. E assim ela segue até o momento da desistência, quando o fiel cede à dúvida e abre mão de sua crença, brilhantemente e sensivelmente acompanhado pelo instrumental. Nada menos que ótima.

15. Dirty ProjectorsAbout to Die

A faixa funciona como um resumo de tudo que a Dirty Projectors pode nos oferecer. Mescla os vocais de Dave Longstreth e Amber Hoffman, tem a mistura de diferentes instrumentos e elementos sonoros, deixando a faixa com o experimentalismo e a complexidade de sempre, mas ao mesmo tempo, nos oferecendo um refrão empolgante que representa muito da acessibilidade encontrada em Swing Lo Magellan.

14. Apanhador SóParaquedas

O carro-chefe do single lançado pela banda gaúcha em 2012 veio carregado de poesia para contar a história de um relacionamento desarmônico. Com figuras de linguagem grandiosas e um instrumental maior ainda, a música reúne diversas das melhores características do grupo e nos deixou ainda mais ansiosos para seu segundo álbum, que chega em 2013.

13. Half Moon RunCall Me in the Afternoon

Convergindo ao Folk diversos outros elementos tirados do Rock Alternativo e Progressivo, esta faixa é um dos melhores momentos do ótimo Dark Eyes. Uma bela melodia que se junta à percussão muito bem trabalhada pelo trio e outros elementos como piano e harmonias de vozes criam esse ótima música.

12. The MaccabeesFeel To Follow

Essa música é talvez a que melhor represente não só esse disco, mas a banda como um todo. Assim como Orlando Weeks e sua turma, ela cresce e ganha força aos poucos, se mostrando completa e cheia de momentos diferenciados dentro da mesma faixa. Com um final apoteótico, ela é encerrada pela triade de guitarras que mostra ao mesmo tempo um misto entre beleza e fúria.

11. Tulipa RuizVíbora

Brincando com métrica e tempo, a artista fez caber nos versos toda a força de uma catarse frente um relacionamento abusivo. A parceria com Criolo gerou uma das melhores escolhas de palavras e sílabas tônicas do ano, além de consagrar Tulipa como um dos maiores vocais que o Brasil tem hoje em dia. Uma daquelas músicas que já nascem com cara de “clássica”.

10. Kendrick LamarMoney Trees (feat. Jay Rock)

Money Trees com Jay Rock tem uma batida é hipnotizante com uma guitarra em loop ao fundo, sample de Silver Soul da Beach House, e tem as rimas de Kendrick se encaixando perfeitamente com a bateria colocada milimetricamente. É possível imaginar um grupo de gangsteres dirigindo bem devagar, com os vidros abaixados e demonstrando confiança devido ao seu estilo de vida arriscado. “But the one in front of the gun lives forever”, ecoa no verso.

9. Cat PowerCherokee

O final de relacionamento é o típico momento no qual um artista mais se inspira para produzir e externar seus sentimentos e agonias através de suas músicas e composições confessionais. Cat Power pode não viver sua melhor fase emocional e financeira, porém a canção Cherokee é a carro-chefe do disco Sun e entra facilmente para o hall de melhores criações suas, trazendo riffs voltados ao Rock sentimental menos contido que o comum e regido por um refrão grudento que deve permear na lembrança por boas semanas sequenciais.

8. RhyeThe Fall

A surpresa envolvente e encantadora apresentada por Rhye em 2012 se deve ao seu primeiro single divulgado ,The Fall. A faixa vai de encontro ao discretismo sensual e desdobra-se de forma ágil a arranjos grandiosos munidos de batidas eletrônicas marcadas, que criam uma ambientação romântica pouco encontrada dentro do nicho, trazendo também os doces vocais de Mike Milosh se aproximando de uma vertente Soul confortável.

7. Alt-JBreezeblocks

Com uma linha de guitarra que parece ter sido tirada de algum disco de Ska, vocais com muita personalidade que parecem quase fazer um Rap e ocasionais inserções de gritos e outros sons que aparentemente não combinariam em uma só música, surge uma faixa que mostra toda a engenhosidade do grupo em unir tantos elementos em uma só música e mesmo assim ainda construir algo incrivelmente Pop.

6. David Byrne & St. Vincent- Who

O encontro mais comemorado de 2012 gerou também uma das melhores faixas do ano. Com arranjos feitos a base de metais e percussão que parece ser feita com drum machine, a música tem uma ótima melodia e a presença marcante de duas vozes que simbolizam, cada uma, sua geração.

5. Cloud NothingsWasted Days

O grande produtor Steve Albini teve a tarefa de transformar um artista promissor em uma realidade que pode ser comprovada por toda energia, fúria e barulho que estão comprimidos nesta faixa. Descarregando toda sua raiva, Dylan Baldi exorciza seus demônios repetindo aos berros o refrão “I thought I would be more than this” – com certeza um dos mais memoráveis de 2012.

4. Tame ImpalaFeels Like We Only Go Backwards

Mas Lonerism não é só sobre estar sozinho. Ainda que a relação com a solidão continue, nesta faixa Kevin Parker se vê como um par, em um relacionamento está prestes a se desfazer e vê tudo se desmoronando a sua volta.

3. GrimesGenesis

O conceito aparentemente inocente e soturno se une a uma overdose de informação visualmente doce e freak na mesma medida. Tais informações traduzem bem o ideal que Grimes quer passar adiante em todos os sentidos, e uma das canções que melhor resume toda essa bagunça é o hit Genesis, que emplaca a rebeldia velada através de camadas diversas de sintetizadores e batidas eletrônicas, além de ter sido um ótimo meio de abrir os caminhos da popularidade para o Dream Pop.

2. Grizzly BearSleeping Ute

A canção que abre Shields traz apenas uma grande variação dentro de si mesma, mas ela possui tantos e tantos momentos de diálogos de instrumentos e vocais dramáticos que, ao final, a impressão é a de uma verdadeira sinfonia de menos de cinco minutos de duração. Não à toa, foi a escolhida para dar ao público uma prévia de como o álbum seria meses antes de seu lançamento, mas permanece impressionante até hoje.

1. Tame ImpalaApocalypse Dreams

Lonerism discorre sobre a profunda introspecção, misantropia e solitude de variadas formas e uma delas é através desta faixa que retrata o escapismo de forma relutante. Chegando ao fim, Kevin Parker acaba se rendendo a ele de forma apática em música que apresentou a nova fase dos australianos ao mundo.

Playlist

Melhores de 2012 from monkeybuzz on 8tracks Radio.

5,989 total views, 1 views today

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.