Resenhas

Arca – Arca

Em seu terceiro trabalho, produtor venezuelano consagra sua carreira

2,037 total views, 1 views today

Ano: 2017
Selo: XL
# Faixas: 13
Estilos: Eletrônico Experimental
Duração: 43:17
Nota: 4.0
Produção: Arca

O jovem venezuelano Alejandro Ghersi tem sido um nome recorrente entre os produtores de mais destaque da música eletrônica contemporânea. Enquanto colaborava com artistas do cacife de Björk, Kanye West e FKA Twigs, começou a construir sua carreira solo sob o codinome Arca. Após apresentar a dupla de trabalhos Xen (2014) e Mutant (2015), Ghersi investe todo o seu poder de fogo no autointitulado Arca, este que parece ser, de fato, a consagração da persona artística do músico.

O trabalho segue a mesma lógica de seus antecessores, sendo um descendente direto dos nomes para o qual produziu, ao apostar em uma linguagem majoritariamente eletrônica, caótica e abstrata. No entanto, existe em Arca um diferencial que exponencia a expressividade do artista: o uso de sua voz, consumando faixas mais coesas e uma linguagem mais convidativa de ser absorvida pelo público.

É interessante notar como Arca soa convidativo mesmo exibindo uma linguagem que, a princípio, poderia espantar muitos ouvintes – caso dos projetos Xiu Xiu ou Pharmakon, por exemplo. Ghersi soube manipular a angústia que expressa com tanta dramaticidade em um contexto que faz sentido para o público. Diferentemente do que seu trabalho tem sido até agora, feito de formas abstratas, distorcidas e assustadoras, Arca parece encontrar no sadomasoquismo a metáfora ideal para aquilo que quer dizer. Seu trabalho fala de amor e perversão, de apego ao sofrimento, e vê no corpo físico – o suor, o sangue, o sexo – a manifestação absoluta e simbólica para aquilo que sente emocionalmente. É assim que sua música consegue soar poderosa e intimista ao mesmo tempo.

Como se por alguma fórmula mágica, Arca manipula seu senso estético apuradíssimo de forma a transformar seus temas exagerados (em seus videoclipes, por exemplo, o artista está jogado no chão, preso em camisas de força feitas de couro e sangrando) em algo super bem balanceado com seus timbres de bom gosto. Esta manobra talvez seja exatamente o que faz sua música soar tão desconcertante e sedutora para quem ouve.

(Arca em uma música: Reverie)

2,038 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: FKA Twigs, Xiu Xiu, Björk
ARTISTA: Arca

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.