Resenhas

Beck – Song Reader

Projeto antigo ganha vida com participações especiais

2,073 total views, 2 views today

Ano: 2014
Selo: Capitol
# Faixas: 20
Estilos: Coletânea
Duração: 1:05:23
Nota: 3.5
Produção: Beck, Randall Poster

O compositor americano Beck Hansen sempre está envolvido em alguma experimentação interessante. Um artista inteligente, que sempre soou alternativo mesmo fazendo parte de um mainstream, com seu Folk Country que flerta com o Indie, o Soul e o Hip Hop, não deixa escapar a visibilidade que tem para seguir experimentando.

Beck, que além de seus álbuns próprios (acabou de sair ainda no começo deste ano Morning Phase, lembra?) já esteve envolvido com uma série de projetos paralelos que repensam o modo de produzir música. Em geral, alguma releitura contemporânea com um olhar voltado ao passado. Por exemplo, temos o Record Club, que se propõe a gravar álbuns inteiros em apenas 24 horas, ou REWORK, no qual remixou algumas peças de Phillip Glass, além da ópera que re-imagina Sound & Vision de David Bowie em uma experiência sensorial de 360 graus. Entre tantos outros, foi lançado, no final de 2012, um livro chamado Song Reader (veja aqui o site do projeto) contendo partituras de canções inéditas, nunca gravadas.

Song Reader é uma tentativa de aliar um aspecto antigo da manufatura musical, um resgate que preza pelo tempo, pela imaginação e pelo trabalho da leitura de partituras com o aspecto contemporâneo da novidade e da experimentação artística. Dois anos passados, temos o lançamento do álbum Song Reader, com versões imaginadas por alguns artistas para tais partituras inéditas, a grande maioria transitando dentro de um cenário alternativo que podemos considerar como fazendo parte da herança da obra do próprio Beck.

Song Reader toma forma graças ao patrocínio da marca de óculos Warby Parker, que reverte parte dos lucros para a organização não-governamental (sob a tutela do mesmo dono) 826NYC, que, por sua vez, mantém um projeto para inspirar a escrita criativa de crianças e adolescentes. Uma trama cerrada de colaboradores e parcerias que quase torna confusa a compreensão do projeto, ainda mais se levarmos em conta todos os artistas convidados para a finalização da totalidade da obra.

Song Reader (o álbum) conta com a participação de vários músicos e bandas, entre eles fun., Jack White, Laura Marling, Norah Jones, Sparks e Tweedy, além do próprio Beck interpretando uma das canções. É interessante ver como o trabalho produz uma espécie de homogeinização espontânea, e se encontra num meio do caminho criativo à medida que conta com Beck tentando superar suas limitações como compositor (já que não teve que executar as próprias músicas) e também com os músicos adaptando suas interpretações ao universo de Beck (fora um exemplo ou outro, como a versão mais simples e emocionada de Swamp Dogg ou a paródia cômica de Jack Black).

Song Reader não pode ser visto como uma obra da discografia de Beck, senão como um de seus projetos paralelos. Não que isso seja pouco, afinal, é importantíssima a presença de artistas inventivos como Beck (uma postura diante da arte que encontramos também com frequencia no trabalho de Jack White) que mostram que é possível ser criativo e sempre proporcionar uma nova experiência no fazer musical sem ter que soar , necessariamente, tão esquisito. Song Reader não é um álbum coeso, dada a própria natureza de sua criação. Entretanto, graças ao seu aspecto experimental e pela beleza das faixas isoladamente, ganha nossa indicação.

2,074 total views, 3 views today

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.