Resenhas

Belle & Sebastian – A Bit of Previous

Célebre grupo escocês mantém equilíbrio entre a melancolia e a ironia, mas guarda pequenas surpresas sonoras e demonstra fôlego de sobra em 11º álbum da carreira

 177 total views

Ano: 2022
Selo: Matador Records
# Faixas: 12
Estilos: Indie Pop
Duração: 48'
Produção: Belle & Sebastian, Brian McNeill, Kevin Burleigh, Matt Wiggins e Shawn Everett

Uma bela dose de melancolia equilibrada com pitadas de ironia, tudo envolto em um indie pop nostálgico e encantador. Belle & Sebastian aperfeiçoou essa receita muito cedo em sua carreira, que já data 26 anos, e o próprio título de seu décimo primeiro disco, A Bit of Previous (“um pouco do anterior”, em tradução livre), mostra que o grupo escocês não está aqui para inovar. Mas isso não quer dizer que não possa surpreender.

O álbum começa com certa discrição em “Young and Stupid”, música de levada tranquila para lamentar o peso do passar do tempo, em contraste com a bênção da ignorância na infância. A faixa dá lugar a “If They’re Shooting At You”, com instrumentos de sopro e jeitão de coral gospel em alguns momentos que garantem um aspecto espiritual à música – o que, inclusive, rendeu um videoclipe em homenagem às vítimas da guerra na Ucrânia, pouco antes do lançamento do disco.

A partir daí, A Bit of Previous recebe várias músicas que, se não contrariam a tal fórmula que a banda sempre desenvolveu, expandem um pouco seus domínios estilísticos ao incorporar timbres, ambientações e ritmos que nem sempre são o que esperamos de quem lançou sucessos como “The Boy with the Arab Strap”. Pode ser um sintetizador mais presente (“Prophets on Hold”), a ambientação eletrônica de “Reclaim the Night” ou até como a guitarra sola em “Sea of Sorrow”, há vários “cantinhos” do disco com pequenas surpresas, ou “easter eggs”, que sopram um belo frescor na direção do ouvinte.

Para os que queriam ver aquela Belle & Sebastian de sempre, sem a distração desses elementos – por mais discretos que eles às vezes sejam –, baladinhas como “Do It for Your Country”, “A World Without You” e “Deathbed of my Dreams” devem satisfazer essa vontade. As animadas “Unnecessary Drama”, lançada como single principal do álbum, “Talk to Me, Talk to Me” e “Come on Home” (com aparente e divertida inspiração no jazz) ganham o título de momentos mais bacanas de uma obra repleta de fôlego.

Talvez esta seja hoje a melhor qualidade da banda. Belle & Sebastian não tem mais a influência que um dia teve, e talvez seu público tenha envelhecido com os integrantes e, mesmo abraçando a tristeza quando precisa, aprendeu a dançar de maneira mais animada do que há 20 anos. Há energia de sobra em A Bit of Previous, de uma forma que talvez, anos atrás, não se esperasse que o grupo tivesse hoje. Menos nostálgico do que aparenta, é uma obra que empolga mesmo em seus momentos mais leves – o que, felizmente, também faz parte da receita da banda.

(A Bit of Previous em uma faixa: “Unnecessary Drama”)

 178 total views

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.