Resenhas

Charli XCX – Number 1 Angel

Mixtape de compositora inglesa traz ótima mistura entre nostalgia e Pop atual

2,335 total views, no views today

Ano: 2017
Selo: Asylum
# Faixas: 10
Estilos: Pop Alternativo, Trap, PC Music
Duração: 37:23
Nota: 3.5
Produção: A. G. Cook, Sophie, Danny L, Harle, Life Sim, Easy FX, John Hill

O Pop é um gênero extremamente afetivo a nossas memórias da juventude. Seja pela facilidade em digeri-lo ou por ser normalmente nosso primeiro contato com a música veiculada na grande mídia, é comum associá-lo à “música de gente jovem”. Charli XCX é uma artista que mostra o quanto isso é verdade e, mais ainda, como isso se aplica no processo criativo de sua obra. Conhecida pela produção de peças Pop que exploram sempre temáticas menos estereotipadas, a compositora nascida em 1992 vivenciou o apogeu da MTV e, assim, faz sentido que sua sonoridade englobe uma série de elementos nostálgicos, como sintetizadores típicos e beats característicos do começo dos anos 2000. Entretanto, sua discografia sempre foi acompanhada de algo muito maior do que um simples domínio técnico do Pop 90/2000, o que ficou definitivamente claro neste novo lançamento.

A mixtape Number 1 Angel é um experimento muito sadio no qual a compositora põe em evidência, além de seu domínio técnico e um time fantástico de produtores, o apego emocional com a música Pop da virada do milênio. É quase como um disco de nostalgia pura, que só não alcança esse status pelo excelente trabalho que faz ao misturar tendências atuais com estes elementos. Desta forma, Charli XCX consegue transmitir o que poucos produtores atingem em suas mixtapes: uma experiência saudosa e, ao mesmo tempo, inovadora. Dessa tendência, fica clara a escolha da inglesa em escolher seu time de produtores, entre eles John Hill, Life Sim e A. G. Cook, considerado o fundador da PC Music, um gênero que resgata sonoridades do Techno/Dance do auge da Eurodance 90. Portanto, Charli tinha tudo para produzir um registro extremamente interessante: um conhecimento profundo da estrutura Pop, uma memória afetiva muito enraizada em sua personalidade e um grupo de produtores familiarizados com gêneros que direta ou indiretamente dialogavam com a sua intenção ao criar Number 1 Angel.

Ao começar com Dreamer, percebemos o tom das misturas que degustaremos ao longo da obra. Nesse caso, um Trap intenso que coexiste junto com um timbres de sintetizadores etéreos e distorcidos. 3AM (Pull Up), parceria com a cantora MØ, traz um refrão repleto de de um suíngue eletrônico típico daquela tentativa de unir ritmos caribenhos ao Pop americano dos anos 2000. Roll With Me já traz uma referência mais futurista, parecida com seu último EP, Vroom Vroom, e bem mais elétrica na construção da batida. ILY2 é uma das músicas que mais consegue dosar o fator nostalgia com as sonoridades mais atuais, investindo em timbres distorcidos e um refrão extremamente pegajoso, habilidade já conhecida da artista. Em parceria com a cantora Uffie, Charli reinterpreta a Trap Music enfeitando-a com timbres etéreos e eliminando aquele excesso de baixo característico. Por fim, há uma alternância cativante entre um vocal doce e adolescentesco de Charli com a agressividade da rapper cupcakKe e suas rimas ácidas.

Number 1 Angel é uma mixtape que exemplifica o que Charli XCX vem tentando fazer desde o início de sua carreira: um Pop a serviço da atemporalidade, que não vê barreiras para esta junção de elementos de décadas diferentes. Preciso e arrebatador, é um registro que traz um senso de urgência apurado para novos lançamentos da compositora. Esperaremos pacientemente com estes novos refrões grudados em nossas cabeças.

(Number 1 Angel em uma faixa: ILY2)

2,336 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: TLC, , Purity Ring
ARTISTA: Charli XCX

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.