Cloud Nothings – Last Building Burning

Emergência e energia marcam uma nova fase para o grupo de Ohio

590 total views, 3 views today

Ano: 2018
Selo: Wichita Recordings
# Faixas: 8
Estilos: Punk Rock, Hardcore, Garage
Duração: 35
Nota: 4.5
Produção: Randall Dunn

Foi ainda no ano passado que falamos de Life Without Sound, o álbum anterior da banda de Ohio (EUA) Cloud Nothings. Já na ocasião, o que pudemos perceber foi um trabalho marcado por uma espécie de crise, um desvio de trajetória ocasionado por um bloqueio criativo, que fez o grupo alterar sua assinatura em busca de novas formas de composição. O resultado foi algo mais equilibrado, polindo as farpas e costurando a rasgação de costume do seu Rock garageiro.

Por isso, a impressão que temos ao ouvir Last Building Burning é que a energia reprimida nesses anos passados afinal explodiu de uma vez só, resultando em um dos melhores álbuns da carreira do grupo, e do Rock deste ano. Este é um trabalho que consegue expressar a raiva conforme ela acontece em tempo real, emanando uma energia de autenticidade e um novo vigor para a banda.

Cloud Nothings, agora assessorado pelo produtor Randall Dunn, escava um pouco além das suas influências do Emo. O grupo soma à angústia de Sunny Day Real Estate a emergência de um Motorhead (ouça a faixa de abertura On An Edge, e considere as devidas proporções, é claro), além de experimentar os limites de sua expressão conforme o selo de qualidade Sonic Youth (ouça os intervalos de microfonia, presentes em Dissolution). Last Building Burning parece encontrar um novo sentido para a agressividade em forma de música, assim como bandas como Algiers ou Shame, que atuam como uma reação alérgica para um mundo que retorna à valores cada vez mais conservadores e sufocantes.

Last Building Burning é um exercício de auto-imolação de arame farpado sonoro, feito com acordes mais complexos e pedal de distorção no talo. Uma boa sessão de descarrego que responde a um novo momento da sociedade, prestes a atravessar para uma nova década de incertezas. Ouça já.

(Last Building Burning em uma música: In Shame)

591 total views, 4 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Shame, Car Seat Headrest, No Age

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.