Resenhas

Guided by Voices – Motivational Jumpsuit

Vigésimo disco do grupo chega redondo e mostrando tudo o que a banda já sempre mostrou

 2,362 total views

Ano: 2014
Selo: Guided by Voices Inc
# Faixas: 20
Estilos: Indie Rock, Lo-Fi, Rock Alternativo
Duração: 37: 24
Nota: 3.0
Produção: Guided By Voices
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fmotivational-jumpsuit%2Fid786645562%3Fuo%3D4%26partnerId%3D2003

São mais de 30 anos na estrada, 20 álbuns lançados e mais um esperado ainda para este ano. Mesmo assim, Robert Pollard e sua turma tem muita lenha pra queimar. Chega a ser impensável que um grupo consiga produzir tanto (e só não acumula mais discos por conta de um hiato produtivo de oito anos, entre 2004 e 2012) e ainda manter uma boa qualidade em todos seus lançamentos. Mas Guided By Voices tem um som simples e sem frescuras, com uma produção muitas vezes Lo-Fi que não só favorece a tal produção em massa, como também deixa que suas qualidades ainda mais evidentes.

Motivational Jumpsuit apresenta mais uma vez a combinação entre a lírica idiossincrática e cheia da personalidade de Pollard e sua habilidade em criar melodias pegajosas. Se você já ouviu algum ou alguns discos do grupo, sabe muito bem o que esperar e se você ainda não deu a chance a nenhum deles, saiba que este (assim como qualquer outro da banda) resume muito bem sua sonoridade.

É fato que não há grande variação entre cada obra, mas ainda assim o grupo não se repete – afinal, temáticas atuais e acontecimentos pontuais sempre parecem guiar as letras de Pollard em cada álbum. E em um breve olhar pela carreira do GBV não fica difícil observar isso.

São anos e anos aprimorando essa sonoridade em particular e o resultado não é nada surpreendente, apesar de muito bom. São canções de Rock de 90 a 120 segundos, guiadas por boas progressões de acordes, um tratamento de produção quase inexistente (tamanha a crueza das faixas) e as letras únicas de Pollard e seu jeito único de escrever – ou seja, um “GBV” genuíno. Dinâmico e frenético, o disco emoldura 20 faixas dessas, ora mais rápidas, ora mais mid-tempo, em pouco mais de 37 minutos. Todas muitas bem balanceadas e nada cansativas, um disco redondo e que segue uma boa proporção entre seus momentos e gêneros englobados.

Se tudo é “tão igual”, vale a pena destacar os pontos altos. E um deles vem logo com a faixa de abertura (Littlest League Possible), na qual, através de metáforas com o Baseball, Pollard parece se perguntar “quem está realmente escutando essas músicas e porque eu estou fazendo isso?”. Em outro ponto do disco, o músico parece brincar com a ideia de um bloqueio criativo (Writer’s Block (Psycho All the Time)) – o que ele definitivamente parece não sofrer -, e temáticas políticas (Child Activist, Calling Up Washington e Vote for Me Dummy).

A banda continua encapsulada em sua bolha, em terreno tão comum para si, que se sente realmente à vontade nesse ambiente. Motivational Jumpsuit traz de volta todos os bons atributos do GBV e tudo o que o lhe fez chegar a este ponto da carreira como um ícone do Indie Rock, porém nada que traga novos fãs ou que chame a atenção por si só.

 2,363 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts