Resenhas

Parquet Courts – Light Up Gold

Com metaforas e reflexões, quarteto tem nas letras seu ponto mais forte, com simbolismos, surrealismos e temática urbana que formam as composições

 2,898 total views

Ano: 2012
Selo: Whats Your Rapture?
# Faixas: 15
Estilos: Punk Rock, Punk
Duração: 33:10
Nota: 3.5

Após o cassete American Specialties, que continha quatro faixas e passou despercebido pelo público, Parquet Courts pede um minuto de sua atenção (“A minute of your time?”) logo na primeira faixa do LP de estreia da banda, Light Up Gold.

Apesar do estilo Punk Rock das faixas, os vocais não se mostram raivosos e agressivos como é comum no gênero. Entretanto, o quarteto nova-iorquino segue a escola Punk ao trazer letras com compasso dinâmico e ritmado dando tônica ao instrumental cru e simples característico. A temática das letras é bem reflexiva, tanto pessoalmente, quanto a respeito da sociedade em que vivemos e os seus eventuais rumos.

Podemos observar essas reflexões, por exemplo, nas faixas Carrers In Combat – “There are no more summer lifeguard jobs/There are no more art museums to guard (…) but there are still careers in combat, my son” (“Não há mais trabalho de salva-vidas de verão/ Não há mais museus de arte para serem vigiados (…) mas ainda há carreiras e o combate, meu filho” – e em Light Up Gold II , forrada de simbolismos e metáforas – “Steady was the pace kept in that tear-leaking sway, sifting like miner through the conscience debris(…)” (“Foi mantido o ritmo do vazamento de lágrimas, peneiradas como um mineiro em meio aos escombros de consciência(…)”)

Além desse lado mais metafórico e elaborado, a banda não deixa de lado a temática jovem, tão característica do Punk. Em Stoned and Starving, podemos observar uma letra sobre a fome ao estar sob efeito de droga, na qual o personagem da canção se pergunta sobre o que irá comer. E tudo isso em meio a uma caminhada pelo Queens, bairro de Nova York, mostrando o lado urbano das composições. Ainda numa ideia entorpecida, temos letras que se aproximam de um certo surrealismo, como vemos em Caster Of Worthless Spells, que diz sobre ilhas, um “rodízio de magias inúteis”, livros de histórias e um karaokê que não possui tradução para o inglês.

A questão da sonoridade chega até a ficar em segundo plano e isso devido à simplicidade instrumental, que acaba não “afrontando” as letras de composições muito bem elaboradas e deixa o palco para elas. Mas isso não se mostra como um ponto negativo ou um erro da banda, visto que o guitarrista Andrew Savage confessou que as letras são o principal foco no momento de elaborar novas músicas – que se tornou o ponto forte da banda – , deixando a parte instrumental para um segundo momento.

Se num primeiro momento o Parquet Courts passou despercebido com seu cassete, Light Up Gold veio para ganhar o público principalmente pelas muito bem articuladas metáforas e simbolismos, que mostram de um jeito interessante o meio no qual a banda se encontra e que acaba sendo expandido para o ouvinte. É hora de dar um minuto de nosso tempo para Parquet Courts.

 2,899 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Mission of Burma, Grass Widow, Fugazi
MARCADORES: Punk, Punk Rock

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).