Resenhas

James Blake – Assume Form

Explorações experimentais do produtor britânico saem de cena e dão lugar ao R&B

739 total views, 3 views today

Ano: 2019
Selo: Polydor
# Faixas: 12
Estilos: R&B, Eletrônica
Duração: 48'
Nota: 4
Produção: James Blake, Dominic Maker, Metro Boomin, Dre Moon, Wavey, Allen Ritter

Quando o britânico James Blake lançou seu álbum de estreia em 2011, e em seguida o ganhador do Mercury Prize Overgrown em 2013, acabou criando um novo subgênero musical que viria a se tornar um parâmetro para a música de sua década. Seu estilo nublado e melancólico, encoberto por camadas eletrônicas envelopadas e graves convulsivos, se tornou uma linguagem falada pelos artistas mais influentes da contemporaneidade ‒ de Kanye West, passando por Beyoncé, Frank Ocean e chegando a Kendrick Lamar, só para citar alguns.

Com Assume Form, o músico parece agora encerrar um ciclo, incorporando aquilo que os outros fizeram com o seu estilo musical. A quantidade de artistas e produtores convidados para a elaboração deste trabalho, algo raro para um artista tão introvertido quanto Blake, mostram que esse álbum ultrapassa uma barreira muito maior do que a estética em direção ao Hip Hop, pronto para colher ao lado da nova geração de músicos ‒ Travis Scott, Moses Sumney e Rosalía entre eles ‒ os frutos de uma jornada consagrada pelo Pop R&B.

Os tema principal de Assume Form, como já diz o seu título, é o de Blake assumindo uma forma concreta, aproveitando uma nova vida ensolarada ao lado da atriz Jameela Jamil ‒ que interpreta a Tahani, do seriado The Good Place ‒ em Los Angeles. O músico, ainda que faça a música que sempre fez, parece sair de dentro da própria cabeça, abandonando pensamentos cíclicos da melancolia, metaforizados em timbres etéreos em nome de algo mais palpável. Tomemos a música Barefoot in the Park como exemplo, que evoca uma peça teatral de mesmo nome e que conta a história de um casal de jovens apaixonados aprendendo a lidar com a vida a dois. É evidente, para além da referência literária, uma espécie de comprovação dessa nova fase “pé no chão” do artista. Assume Form mostra James Blake, embora receoso com esse novo modo de vida, aberto e confiante no amor.

O single If The Car Besides You Moves Ahead, lançado no ano passado em antecipação ao álbum completo, não entrou para a playlist do trabalho. A ausência da música, que explora as capacidades criativas de Blake no que diz respeito à manipulação eletrônica enquanto linguagem, comprova que o interesse de Assume Form não é a exploração experimental. Aqui, sai de cena a música de vanguarda, os filtros cinemáticos, os ritmos fraturados e assume o lugar uma declaração de amor contemporânea.

(Assume Form em uma música: Barefoot In The Park)

740 total views, 4 views today

ARTISTA: James Blake
MARCADORES: Eletrônica, R&B

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.